Notícias

Qual o impacto da Propriedade Intelectual na indústria europeia?

segunda-feira, 28 de novembro de 2022
EUIPO e IEP atualizam relatório sobre o impacto da PI na economia da União Europeia
Qual o impacto da Propriedade Intelectual na indústria europeia?

O Instituto Europeu de Patentes (IEP) e o Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO) lançaram a quarta edição do estudo “Indústrias de utilização intensiva de Direitos de Propriedade Intelectual (DPI) e desempenho económico na União Europeia”, o qual tem em consideração o período compreendido entre 2017 e 2019.

Aquele relatório revela o papel que as empresas que fazem uso intensivo de patentes, marcas, desenhos ou modelos, indicações geográficas e direitos das variedades vegetais, têm no crescimento económico e no emprego na União Europeia (UE).

Naquilo que diz respeito a Portugal, o relatório refere que 31% dos empregos e 43,6% do PIB são diretamente devidos às empresas que fazem uso mais intensivo de DPI.

Compulsado o teor do referido relatório verifica-se que as indústrias que utilizam de forma intensiva Direitos de Propriedade Industrial geraram 29,7% dos postos de trabalho na UE durante o período referido.

Em média, ao longo do referido período, estas indústrias empregaram perto de 61 milhões de pessoas na UE. Além disso, foram criados mais 20 milhões de postos de trabalho por indústrias que fornecem bens e serviços às indústrias de utilização intensiva de DPI. Tendo em conta os empregos indiretos, o número total de postos de trabalho dependentes de DPI aumenta para 82 milhões (39,4 %).

No mesmo período, as indústrias de utilização intensiva de DPI geraram 47,1% da atividade económica total (PIB) na UE, no valor de 6,4 triliões de euros. São igualmente responsáveis pela maior parte das trocas comerciais entre a UE e o resto do mundo, tendo gerado um excedente comercial de 224 mil milhões de euros, e contribuído, assim, para o equilíbrio global da balança comercial da UE.

O estudo revela ainda que estas empresas pagam salários significativamente mais elevados do que as outras indústrias, com uma majoração salarial de 41%. Estes dados coincidem com o facto de o valor acrescentado por trabalhador ser maior nas indústrias de utilização intensiva de DPI do que noutros setores da economia.

FONTE: https://euipo.europa.eu/tunnel-web/secure/webdav/guest/document_library/observatory/documents/reports/IPR-intensive_industries_and_economic_in_EU_2022/2022_IPR_Intensive_Industries_FullR_en.pdf

Fonte: https://euipo.europa.eu

210

Voltar