Notícias

Calçado e cortiça unem esforços para promover o “made in Portugal”

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010
Calçado e cortiça unem esforços para promover o “made in Portugal”

“Como reinventar o calçado a partir das mais recentes inovações de uma matéria-prima verde e 100% portuguesa?”. A questão, até há bem pouco tempo sem resposta, é de Paulo Américo, Director Geral da Amorim Cork Composites, no decorrer da conferência “A Inovação nos Produtos dos Sectores Tradicionais da Cortiça e do Calçado”, promovida pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira. A resposta surgia poucos minutos depois. O sector do calçado e da cortiça estão a trabalhar em conjunto, de modo a apresentarem internacionalmente um produto revolucionário e genuinamente português.

A Profession: Bottier, a Rufel e a Sedacor (Sociedade Exportadora de Artigos de Cortiça, Lda) estão a desenvolver uma cortiça técnica que poderá no futuro substituir o couro no calçado. Mas há outras empresas, como a ICC, especializada na produção de calçado técnico, que estão também a investir nesta área.

António Amorim, Presidente da APCOR (Associação Portuguesa de Cortiça) assegura que “o calçado é uma das áreas de negócios em que as empresas de cortiça mais têm investido”. O sector da cortiça tem em curso a mais forte campanha de promoção de sempre, com um orçamento total de 21 milhões de euros, que tem como objectivo a promoção da cortiça internacionalmente.

A APCOR procurará, por um lado, promover os virtuosismos da utilização da cortiça nas rolhas, na construção e na decoração (estas três áreas de negócios representam cerca de 90% das exportações do sector) e, por outro, dotar as empresas das capacidades técnicas e tecnológicas que lhes permitam ser uma referência na cena competitiva internacional, nomeadamente através da apresentação de novos produtos sejam para o sector do vestuário, do calçado, da marroquinaria, das jóias, da indústria aeroespacial ou farmacêutica. Na óptica de António Amorim o grande desafio passa “por surpreender os mercados com a apresentação de novas aplicações e produtos”. Um repto que já terá, de resto, sido aceito por empresas da fileira do calçado, como é o caso da Profession: Bottier (empresa Ferreira Avelar & Irmão, Lda), que apresentou em Milão, em Setembro último, o primeiro modelo de calçado totalmente em cortiça. Segundo Ruben Avelar a aplicação da cortiça no calçado, substituindo mesmo as peles, torna “os modelos mais leves, mais ecológicos e mesmo mais económicos”. Não se trata de “substituir o couro pela cortiça, mas antes promover uma inovação a partir de uma matéria-prima amiga do ambiente e totalmente portuguesa”.  Já o designer Paulo Brandão elogiou todos os esforços que permitam a “apresentação de produtos inovadores e com identidade”.

A sustentabilidade (ecologia, retenção CO2, Biodiversidade) fazem da cortiça um produto ímpar. Ao longo de toda a campanha que está a ser desenvolvida pela APCOR, a cortiça aparecerá como um produto natural, moderno e elegante, onde prima a ideia do eco-design, com características técnicas e sensoriais únicas, aliando o conforto à estética do produto.
 

Fonte: APICCAPS
2465

Voltar