Notícias

Podologia: Calos, unhas encravadas e micoses são as doenças mais comuns

terça-feira, 26 de maio de 2009
Podologia: Calos, unhas encravadas e micoses são as doenças mais comuns

Uma pequena ferida num pé pode levar à morte. Já tinha pensado nisso? Provavelmente não. A verdade é que nos esquecemos que os pés são a base do corpo e deixamos que adoeçam fechados nos sapatos.

Pelo menos 86 por cento dos portugueses têm uma doença nos pés, revela um estudo da Associação Portuguesa de Podologia (APP). Contudo, apenas 12 por cento já foi a uma consulta de Podologia, a especialidade de saúde que trata o pé.

Calosidades, unhas encravadas e micoses são as patologias mais frequentes. Por isso, a maioria das pessoas ainda recorre a calistas ou pedicuras que cuidam do aspecto, mas não da saúde. "A população não está muito sensibilizada para os problemas dos pés. Uma simples areia vai fazendo fricção e pode levar a situações muito graves", alerta Sandra Gaspar, enfermeira responsável pela consulta do Pé Diabético do Centro de Saúde Norton de Matos, em Coimbra.

"Uma ferida num pé como o do diabético é uma porta aberta para uma infecção que pode originar uma septicemia e, em último caso, a morte", reforça Manuel Portela, presidente da APP. Nesse sentido, o pé que mais preocupa os especialistas é o do diabético. "Em Portugal há um milhão de pessoas com diabetes, 35% dos quais com problemas nos pés", adianta. Mas também os pés das crianças, dos desportistas e dos idosos, pelas características que têm, merecem atenção especial.

O maior desafio é "mudar mentalidades", garante o podologista André Marques para quem as pessoas "deviam ter com os pés tantos cuidados como têm com o rosto".

Quando consultados a tempo, os podologistas podem prevenir infecções e até amputações. No Serviço Nacional de Saúde só há podologistas no distrito de Bragança, que trabalham em exclusivo para diabéticos. No privado, uma consulta custa entre 20 e 60 euros.

UM TERÇO DAS CRIANÇAS TÊM OS PÉS DOENTES
Em Portugal, um terço das crianças, entre os três e os dez anos, sofre de problemas nos pés, segundo revela um estudo do Instituto Politécnico de Saúde do Norte.

As patologias mais frequentes são o Pé Plano, o Pé Valgo (projecção do osso que forma o calcanhar), transpiração em excesso, unhas encravadas e verrugas nas plantas dos pés. Na origem deste problema pode estar o facto de 47% das crianças não usarem calçado adequado, assim como a falta de informação dos pais.

SAPATOS À MEDIDA DO PÉ
O sapato mais adequado é aquele que é "inspirado no formato da sapatilha", explica o podologista André Marques, acrescentando que o calçado deve " respeitar o perímetro do pé, ter sola de borracha, materiais maleáveis, um salto entre dois e quatro centímetros e não deve ser bicudo".
Segundo o especialista, é importante "trocar de sapatos todos os dias" e usar palmilhas personalizadas (feitas por um podologista custam entre 60 e 100 euros e têm uma duração de cerca de seis anos). "A estética ainda prevalece sobre a saúde", afirma André Marques, sublinhando que "há no mercado algumas marcas a disponibilizar sapatos adequados , bonitos e a preços acessíveis". Os cuidados de estética, como pintar as unhas ou usar unhas de gel, só são desaconselhados se a intenção for esconder patologias.

Fonte: Correio da Manhã,24.Maio.09

2579

Voltar