Notícias

Governo apalpa o pulso ao setor do calçado

segunda-feira, 17 de julho de 2023
Secretário de Estado da Economia, Pedro Cilínio, dedicou o dia à indústria de calçado
Governo apalpa o pulso ao setor do calçado

Numa altura em que a economia mundial dá sinais de abrandamento, com alguns dos mais revelantes mercados europeus em situação económica anémica, o Governo, através do Secretário de Estado da Economia, Pedro Cilínio, dedicou o dia 14 de julho à indústria de calçado.

No âmbito da iniciativa “Economia com…”, foram visitadas algumas empresas do cluster e o Centro Tecnológico do Calçado de Portugal. Na circunstância, Pedro Cilinio acredita que período atual será de “transição”, na medida em que a indústria de calçado tem dado, provas recentes, “de inovação e dinamismo, sendo capaz de refletir valor acrescentado nos seus produtos”. "O que percebemos – continuou Pedro Cilinio – “é que o calçado tem-se mantido estável em volume mas tem crescido em valor". "Quando recentemente visitei o setor na MICAM, ainda com os efeitos do crescimento, o sentimento generalizado é que o ano passado tinha sido tão bom, que a expetativa para este ano seria a manutenção do volume de negócios, até para consolidação dos processos produtivos, o que a acontecer não seria entendido como muito prejudicial", explicou.

O  Secretário de Estado recordou que a  "COVID-19 criou uma disrupção nas cadeias de abastecimento e  de retalho e que a reabertura criou efeitos na procura, nomeadamente o “efeito chicote”, que resulta na sensação de uma grande procura e que tem depois como consequência os stocks em loja". O resultado será “de alguma retração para que estes produtos sejam escoados". "A ideia generalizada, não quer dizer que não existam situações pontuais, é que se trata de um processo de reajustamento do mercado em função das flutuações de procura. Falo de um período transitório e, por isso, é uma mensagem de esperança a que queria deixar, até porque hoje foram divulgados os números do crescimento do segundo trimestre. Portugal está a crescer acima da média e no pelotão da frente. Acreditamos que este movimento vai continuar a verificar-se, porque existe investimento e inovação e o  que esperamos é que as apostas realizadas no âmbito do PRR e do Portugal 2030 permitam que esta dinâmica das empresas continue", concluiu.

No decorrer do dia foi igualmente homenageado o empresário Carlos Pereira de Castro, da empresa Marina Calçado, S.A..

Programa extenso
O dia começou na Fábrica de Calçado Celita, em Guimarães. Fundada em 2008, a Celita é uma empresa de calçado, responsável pela Ambitious, uma marca de calçado e lifestyle nascida de um negócio familiar assente nos valores de qualidade, tradição e excelência de fabrico. A atitude progressista e o objetivo de desenvolver uma nova visão do calçado masculino e feminino, suportadas pela aposta tecnológica e mestria das técnicas e processos produtivos, que permitem criar um produto de elevado valor e diferenciação, fazem da Ambitious uma das mais relevantes marcas portuguesas de calçado da atualidade.

Seguiu-se a Vapesol, em Felgueiras. A Vapesol é uma empresa especializada na produção de componentes para calçado. Constituída em março de 1998, a Vapesol cresceu e assume atualmente uma posição de destaque no cluster do calçado, nomeadamente ao nível da produção de solas (injetadas TPR, TPU, EVA, PU, pré-fabricados, borracha). A visão da Vapesol é ser uma empresa de referência no setor, tanto a nível nacional como internacional. Para isso, tem focado a sua atenção no desenvolvimento de soluções criativas e produtos de qualidade. Com recurso a tecnologia de ponta e a responsabilidade de 150 colaboradores, a Vapesol produz anualmente mais de 5 milhões de pares de solas.

No Centro Tecnológico do Calçado, S. João da Madeira, o Secretário de Estado contactou uma infraestrutura essencial no apoio às empresas, nomeadamente no apoio técnico, na promoção da formação técnica e tecnológica, no contributo para a melhoria da qualidade dos produtos e processos industriais ou na realização e dinamização de trabalhos de investigação, desenvolvimento e demonstração.

A finalizar, na Fernando Ferro e Irmão SA, em Estarreja, Pedro Cilinio  descobriu uma empresa focada  na inovação e nas tecnologias mais avançadas do mercado para prestar serviços de alta qualidade em maquinação de precisão de peças e componentes em ligas metálicas, compósitos e plásticos de engenharia.

Detendo um enorme know-how específico ligado ao sector do calçado, a Fernando Ferro e Irmão SA é um dos promotores chave da agenda mobilizadora FAIST e um verdadeiro agente de mudança. Esta empresa será responsável por um conjunto de desenvolvimentos no domínio da Automação e Robótica que suportarão os investimentos de várias empresas de calçado.

Fonte: APICCAPS
483

Voltar

Relacionado