Notícias

Mango usa impressão 3D para nova coleção de acessórios e calçado

Monday, May 31, 2021
Mango usa impressão 3D para nova coleção de acessórios e calçado

A empresa de moda catalã Mango avança em propostas inovadoras. Após o lançamento de uma primeira coleção de joias feitas com tecnologia 3D no início do ano passado, a Mango aposta mais uma vez nesta técnica para expandir as suas coleções sustentáveis.

Desde 3 de maio, esta nova coleção cápsula da Mango está disponível em todos os países, onde a empresa com sede em Barcelona está presente, através do comércio eletrónico. Composta por um total de sete peças, incluindo um saco, sandálias, colar e mais quatro peças de joalharia, a coleção foi concebida em TPU (poliuretano termoplástico), um produto de "carácter sustentável e reciclável, uma vez que é feito de materiais à base de plantas tingidas com corantes naturais extraídos de elementos vegetais".

Tal como no caso da coleção de 10 peças de joalharia impressas em 3D, este novo projecto foi desenvolvido em colaboração com a empresa espanhola Comme des Machines, constituída por um grupo de artesãos especializados na produção de moda sustentável através da impressão em 3D.

Com esta iniciativa, a Mango pretende "reforçar ainda mais o seu compromisso com a sustentabilidade", no sentido de adotar um tipo de fabrico com o qual não são produzidos resíduos, como informou a empresa liderada por Toni Ruiz, num comunicado. "Cada grama de resíduo não gerado traduz-se em CO2 que não é libertado. É a forma mais sustentável de fabrico que existe", sublinhou. Entre os objetivos responsáveis da Mango está a meta de que 100% do algodão utilizado em vestuário será sustentável e 50% do poliéster será reciclado até 2025. A partir de hoje, o seu rótulo "sustentável" cobre 79% das peças de vestuário.

Esta proposta vem juntar-se aos últimos desenvolvimentos na oferta da Mango, desde o lançamento de uma coleção de moda íntima e fatos de banho para mulheres de um só seio, ou a apresentação de uma nova seleção de fragrâncias, até ao lançamento da sua primeira linha para a casa. No final do exercício de 2020, marcado pelo impacto da pandemia do coronavírus COVID-19, a empresa de moda catalã contraiu as suas vendas em 22,4% para 1842 milhões de euros. No mesmo período, as vendas online cresceram 36% para 766 milhões de euros.

497

Voltar