Notícias

LIFE GreenShoes4All na Semana Verde Europeia 2022

domingo, 19 de junho de 2022
Ecodesign, Cálculo da Pegada Ecológica e Reciclagem
LIFE GreenShoes4All na  Semana Verde Europeia 2022

No passado dia 1 de Junho de 2022, os parceiros do projeto LIFE GreenShoes4All organizaram uma conferência online no âmbito da Semana Verde Europeia. O evento foi uma oportunidade para partilhar com mais de 100 participantes, muitos deles empresas, os últimos resultados do projeto, incluindo as realizações em termos de poupanças económicas das empresas participantes no projeto, bem como o alinhamento do projeto com a transição verde em curso na UE.

Carmen Arias da Confederação Europeia do Calçado (CEC) iniciou o webinar introduzindo ao público o atual quadro legislativo da UE em termos de circularidade, reciclabilidade e sustentabilidade. Os seus esforços começaram com o lançamento do Acordo Verde da UE em dezembro de 2019. Depois, passou para o pacote de propostas ao abrigo do Plano de Ação da Economia Circular adotado pela Comissão Europeia em Março de 2022 que inclui elementos relevantes com impacto no setor do calçado, tais como a Iniciativa de Produtos Sustentáveis que regulamenta o futuro Passaporte Digital do Produto, a Estratégia Têxtil da UE e a Diretiva "Capacitar os Consumidores para a Transição Verde" que aborda o Greenwashing. Finalmente, introduziu algumas adoções da CE previstas nos próximos meses, por exemplo, a revisão do regulamento REACH e as propostas relacionadas com os plásticos.

A primeira parte do webinar centrou-se na conceção ecológica. Maria José Ferreira do Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP), líder do projeto, introduziu o tema explicando as principais conclusões do projeto para reduzir a pegada de carbono do produto final: reduzir a pegada de cada passo anterior, trabalhando na conceção e seleção dos melhores materiais, evitando ao máximo o desperdício. Esta é a base da metodologia da Pegada Ecológica do Produto (PEF) e das Diretrizes de Conceção Ecológica para a indústria do calçado disponíveis no website do projeto. Borja Mateu Romero do Centro Tecnológico Espanhol do Calçado (INESCOP) mostrou alguns exemplos de fabricantes espanhóis de calçado empenhados na reciclabilidade, reparação, durabilidade, zero desperdício, zero emissões: uma demonstração de como produzir maximizando os recursos. Vera Vaz Pinto do CTCP entrou mais em detalhes ao ilustrar factos e números da metodologia PEFCR aplicada durante o projeto. Tal metodologia foi implementada pela empresa portuguesa AMF, contabilizando mais de 20 anos de experiência em segurança e calçado de trabalho. Tiago Machado explicou como três dos seus modelos foram "redesenhados", utilizando materiais naturais e reciclados, reduzindo o peso mas respeitando as normas e testes de segurança e mantendo preços razoáveis.

A segunda parte foi dedicada à reciclabilidade. Os três oradores desta secção ilustraram como diferentes materiais podiam ser integrados na produção de calçado e dos seus componentes. Da EVATHINK (Espanha), uma empresa que recebeu a certificação governamental espanhola de Pegada de Carbono de Organização, José García detalhou o processo de produção de novos materiais reciclados através da mistura de polímeros. Carlo Coelho, representante da Atlanta, uma empresa que opera no cluster português de calçado desde 1995, explicou como reciclam termoplásticos e borracha para solas de calçado. Finalmente, Mihai Georgescu do Instituto de Investigação de Couro e Calçado (ICPI) na Roménia apresentou algumas soluções de reciclagem propostas aos fabricantes de calçado baseadas na adição de diferentes tipos de resíduos (por exemplo, couro pós-consumo, borracha vulcanizada e madeira) aos materiais.

No final do evento, numa sessão activa de perguntas e respostas, que deu ao publico a oportunidade não só de desenvolver mais o conteúdo do webinar, mas também de tocar noutros tópicos relevantes, tais como a necessidade de certificações internacionais da pegada de carbono, as qualidades de reciclabilidade do couro e as oportunidades de financiamento regional e nacional para as empresas que trabalham para a sua transição verde.

As alterações climáticas e a degradação ambiental são uma ameaça global para todos. Após a ruptura das cadeias de valor e o aumento dos preços da energia causado pela pandemia de Covid-19 e pela crise geopolítica, a transição para uma economia verde já não é uma opção. Os desafios da reciclagem de calçado são muitos, devido à complexidade dos processos e materiais do calçado; contudo, o projecto LIFE GreenShoes4all demonstrou que um novo rumo é possível e acessível, e que o setor está pronto para se envolver e contribuir para a transição verde.



90

Voltar