Notícias

Calçado português afasta concorrentes europeus

Friday, March 26, 2021
Portugal é o único país europeu com saldo positivo na balança comercial no setor do calçado
Calçado português afasta concorrentes europeus

Portugal é o único país europeu que apresenta um saldo positivo na balança comercial no setor do calçado. A forte vocação exportadora das empresas do setor afasta, assim, os concorrentes europeus neste importante indicador económico.

A indústria portuguesa de calçado é mesmo um caso raro na Europa. Portugal exportou, em plena pandemia, 61,3 milhões de pares de calçado para mais de 160 países. Nesse período, importou 44,6 milhões de pares, apresentando assim um saldo líquido próximo dos 17 milhões de pares de calçado.

Os dois grandes concorrentes, Itália e Espanha voltaram a apresentar um saldo altamente deficitário. O maior produtor europeu, a Itália, exportou 165,2 milhões de pares de calçado e importou, na totalidade de 2020, 271,1 milhões de pares. O saldo negativo acende a 101 milhões de pares. Já Espanha tem um comportamento idêntico: 134,1 milhões de pares exportados, importação de 245,3 milhões e saldo negativo de 11,1 milhões de pares em 2020.

No geral, a União Europeia apresenta um saldo profundamente negativo. Em 2020, a Europa exportou 1619 milhões de pares de calçado. No mesmo período, importou 2974 milhões de pares, apresentando assim um “prejuízo” superior a 1355 milhões de pares.

Este registo deficitário é comum a todos os principais protagonistas da União Europeia. O maior desequilíbrio regista-se na Alemanha e na Bélgica, os maiores exportadores de calçado da Europa, com 293,5 e 242,8 milhões de pares, respetivamente.  São, igualmente, os dois maiores importadores de calçado na Europa. A Alemanha importou, em 2020, 634 milhões de pares de calçado; a Bélgica 403,6 milhões de pares. Compreensivelmente, são os dois países que apresentam saldos da balança comercial mais desequilibrados. Considerando que não apresentam uma estrutura industrial forte, Alemanha e Bélgica funcionam, no essencial, como centros de distribuição. Ainda que em menor escala, França (403,6 milhões de pares em 2020) e Holanda (228,9 milhões) distinguem-se igualmente como importadores-natos, mas igualmente polos de reexportação. Franca exportou, no último ano, 107, 6 milhões de pares de calçado e a Holanda 161,8.

A Leste, o mais surpreendente é o desempenho da Roménia. A promissora indústria romena exportou, em 2020, 26,2 milhões de pares de calçado. No mesmo período, importou mais de 60 milhões. O saldo é, pois, profundamente negativo. Pior registo apresenta a Polónia: saldo negativo de 93 milhões de pares, uma vez que exportou 115 milhões, tendo importado mais de 215. Apenas a Eslováquia apresenta um registo inócuo, com 55,4 milhões de pares exportados e a mesma quantidade (55 milhões) importados.

875

Voltar