Notícias

APICCAPS lança ofensiva para promover artigos de pele no exterior

quarta-feira, 27 de setembro de 2023
Nova campanha artigos de pele
APICCAPS lança ofensiva para promover artigos de pele no exterior

“As mãos são o princípio e o fim de tudo. Servem-nos, fazem-nos estar ao serviço dos outros. Dão-nos a capacidade infinita de tocar as mãos de outros, escrever poemas, tocar piano, apoiar uma roda, pegar ao colo, moldar o barro, coser uma roupa, fazer um sapato, construir uma mala. Constroem momentos, arte ou peças que nos podem acompanhar uma vida inteira.

No setor português de artigos de pele trabalham centenas de trabalhadores que, diariamente, usam as mãos para desenhar, cortar, costurar, montar e entregar produtos que podem durar uma vida e que chegam, anualmente, a mais de 50 países. Com eles, a etiqueta do made in Portugal e um léxico que carrega inovação, qualidade e design”. Este é o mote da nova campanha Portuguese Shoes Leather Goods, promovida pela APICCAPS, com o apoio do programa Compete2030.

O saber-fazer acumulado ao longo de gerações e uma aposta recorrente na qualificação profissional parecem ser os argumentos competitivo deste setor que, em 2022, exportou 273 milhões de euros, mais 39% face ao ano anterior. Já no primeiro semestre deste ano, novo crescimento das vendas ao exterior, desta feita de 18% para 150 milhões de euros.

O setor de artigos de pele e marroquinaria está a crescer em todos os principais indicadores económicos: o número de empesas aumentou 42% na última década para 142 e o emprego triplicou para 3 324.

“Existe uma forte tradição na produção de artigos de pele de excelência no nosso país”, considera Luis Onofre, “nomeadamente para as marcas internacionais do segmento de luxo”. Para o Presidente da APICCAPS, “o saber fazer acumulado ao longo de gerações é um excelente argumento competitivo do setor que importa agora explorar”.

A voz das empresas
Algumas são empresas com dezenas de anos de experiência, outras estão apenas a começar. O setor de artigos de pele é particularmente heterógeno, mas a qualidade da matéria-prima, o design vanguardista e a atenção ao detalhe fazem da oferta nacional cada vez mais procurada nos mercados externos

Ana Maria Vasconcelos acredita que “o setor está em crescimento e as previsões são animadoras”.  A responsável pela Belcinto aponta a versatilidade e a resposta rápida como alguns dos fatores de sucesso do setor nos mercados externos. Recentemente, a histórica empresa lançou a marca Leather Goods.

“Na LeatherGoods impusemo-nos um objetivo sério, difícil e exequível: produzir apenas a partir dos restos de matéria-prima de outras coleções reaproveitando-os e usando-os integralmente, sem gerar novas “sobras” no processo”, revelou Ana Maria Vasconcelos. “Isso obrigou-nos – continuou - a pensar o design com rigor, a inventar novas composições e combinações que mantenham o apelo aos consumidores, a arriscar e a desafiar a criatividade da equipa, partindo de uma ideia que nos é querida - olhar para uma peça em todo o seu potencial, satisfazer de forma cabal as questões de funcionalidade sem deixar de agradar e até surpreender os consumidores, mantendo-nos atuais, mas sem concessões na sustentabilidade”. Para o lançamento da nova marca, a Belcinto olhou “para as matérias-primas e acessórios há muito parados, como se olha longamente para um tesouro, sabendo o seu valor”. “Experimentamos, recombinamos, pusemos outras hipóteses”, revelou.

Já a marca António – a handmade story nasceu do coração da empresa familiar António Mateus, com a sustentabilidade e o design como trave-mestra. “Há algo de muito interessante na nossa indústria e que merece ser valoriza: o saber-fazer manual”, diz Ana Mateus. A responsável pela António acredita que um dos sucessos da marca foi “a intemporalidade das formas. Percebemos que não saem de moda e que os clientes continuam a preferir este tipo de produto”.

Novos talentos chegam ao setor

Todos os dias, novos rostos chegam ao setor. Na bagagem trazem novas ideias, designs vanguardistas e novos conceitos. E prometem ser o futuro deste setor.

É o caso da Ownever, que nasceu do sonho de Eliana Barros de criar uma carteira que não passasse de moda. “Queria fazer a diferença num mundo onde o consumismo é galopante, sem contribuir para a indústria de moda rápida. Estamos em um ponto de inflexão na história que marcará as gerações futuras. Devemos ter a capacidade de escolher melhor e perceber que menos é realmente mais”, pode ler-se no site da marca.

Por isso, em março de 2021 nascia a Ownever, com uma particularidade: garantia vitalícia, ou melhor, 136 anos de garantia. Inspirada pelo estilo de vida francês e em ícones como Françoise Hardy ou Emmanuelle Alt, a marca quer diferenciar-se pelo preço justo, que reflete não só as matérias-primas utilizadas, como todos os artesões que criam a peça. “Além do uso de materiais sustentáveis, acredito que deve ser garantido que os trabalhadores, o planeta e as pessoas sejam levados em consideração na hora de criar um produto”.

Arquitetura e sustentabilidade foram as bases da Carui Atelier, a marca criada por Elena e Maria João. A Carui é uma marca de acessórios e malas com um aspecto arquitectónico, design funcional e, acima de tudo, responsável e (cada vez mais) sustentável. “Ao somar responsabilidade, verdade e tradição, nasceu a Carui”, pode ler-se no site da marca.

“A Carui é o ponto de partida deste caminho. Uma marca que vê a moda como uma interpretação eterna da arte, que inspira e cria um legado de peças intemporais que devem ser transmitidas de geração em geração, peças cuja alma irá incorporar memórias e histórias que as tornam cada vez mais icônicas e especiais”.

Corria o ano de 2018 quando Ana Matos Oliveira criava a Cluoh, uma marca que aliasse moda, ilustração e design. A fundadora, com formação em design gráfico e marketing percebeu, juntamente com um grupo de amigas, que não existiam carteiras com padrões com os quias se identificassem.

Nasceu, assim, a Cluoh, um nome que combina as palavras clássica  e clutches, com a interjeição ‘oh’. “O projecto surgiu da vontade de criar uma marca que associasse os valores e as paixões de cada um dos elementos fundadores. É o resultado de um grupo de criativos e da fusão das suas características e personalidade”, diz a marca.

707

Voltar