Notícias

Vídeo do workshop já disponível

A digitalização dos processos fabris e de gestão em debate

terça-feira, 8 de fevereiro de 2022
Vídeo do workshop já disponível / Próximo agendado para dia 10: Automação e autonomia das máquinas.
A digitalização dos processos fabris e de gestão em debate

O CTCP, em parceria com o CATIM, realizou no passado dia 1 de fevereiro, o primeiro de dois workshops promovidos no âmbito do projeto “MetalShoe Fablab Network” com o tema “A digitalização dos processos fabris e de gestão – estratégia para a melhoria do desempenho”.

Luísa Correia, Diretora Administrativa e Financeira do CTCP deu inicio à sessão, que seguiu com a moderação de Cristina Marques, Coordenadora do Projeto Metalshoe FabLab no CTCP. 

Passar a gestão e controlo dos processos do mundo físico para o mundo digital é emergente, no entanto acarreta questões e desafios para as empresas, que precisam  encontrar soluções adequadas.  Para debater este tema convidamos Cristiano Figueiredo, Investigador no CTCP, na área da Inovação e Fabrico Digital, António Macedo, CEO da empresa Softideia e José Pinto, Administrador do grupo Procalçado.

Cristiano Figueiredo, focado no setor do calçado, afirmou que “sem a digitalização a rastreabilidade do produto é quase ou totalmente impossível.” Explicando que a digitalização veio trazer inúmeras vantagens às empresas, como: permitir o controlo da produção, stock e encomendas, desde o acompanhamento das matérias-primas ao produto final e até mesmo ao fim de vida do produto, bem como o acompanhamento com o cliente, lojas físicas e comércio online. 
Como controlamos todo o processo? Como integramos todas as informações? Quais os softwares que se adequam mais à minha empresa? Lojas digitais com realidade virtual eou aumentada é uma possibilidade para o meu negócio? São algumas das perguntas que vimos respondidas pelo orador, apresentando e expondo as vantagens, desafios e oportunidades da digitalização.

António Macedo falou da digitalização na perspetiva de uma empresa produtora de software, a Softideia, com vasta experiência no setor do calçado.  Este responsável partilhou com os participantes as principais ferramentas, e estratégias para dar respostas às reais necessidades do mercado, bem como os principais desafios assistidos no processo de transição para um mundo cada vez mais digital, salientando a importância do envolvimento da equipa da empresa para uma melhor rentabilização das potencialidades do software.

José Pinto, Administrador do Grupo Procalçado, trouxe ao debate o ponto de vista de uma empresa muito abrangente, que atua desde a produção de solas até à produção e comercialização de calçado.

Quais os softwares que se adequam às suas necessidades? Como cruza toda a informação? Como a pandemia veio acelerar todo o processo? A inteligência artificial é uma solução? As respostas a estas questões foram dadas por este orador que explicou como a digitalização, no caso da empresa que representa, veio contribuir significativamente para uma melhor gestão do vasto conjunto de informação gerada, bem como a sua partilha com diferentes parceiros, dando como exemplo a etapa de desenvolvimento de coleções de produtos, que tem sido fundamental neste período de pandemia. Destacou ainda a possibilidade00A0de integração de todas as informações relativas às diferentes áreas da empresa, desde materiais, produtos, clientes, salientando a importância dos gestão dos recursos humanos em todo o processo.

O workshop teve a duração de duas horas, aproximadamente, e contou com uma audiência de mais de 100 pessoas.
Se não teve oportunidade de ver, disponibilizamos a gravação deste Workshop no Canal do Youtube do CTCP - aceder AQUI.


Próximo workshop:
10 fevereiro |14:30H - Workshop: Automação e autonomia das máquinas/ Automation and autonomy of machines

As máquinas industriais terão capacidade para aprender automaticamente? Poderão vir a ser suficientemente autónomas e capazes de se reconfiguraram para se adaptarem a novas tarefas de produção? Conseguirão comunicar entre si com vista à otimização de processos?

Neste evento, subordinado ao tema “Automação e autonomia das máquinas” estas e outras questões relacionadas serão abordadas por especialistas nacionais e internacionais que foram convidados a contribuírem com o seu conhecimento e experiência, para encontrar respostas.

Programa
14.30h – Sessão de Abertura / Opening Session
Nuno Araújo, Diretor Geral do CATIM
14.35h – Enquadramento e Apresentação do Projeto MetalShoe FabLab / Project Framework and Presentation
Vânia Pacheco, CATIM | Cristina Marques, CTCP
14.50h – Automação e Autonomia das Máquinas / Automation and Autonomy of Machines
Moderador:  Alberto Fonseca (CATIM)
- UMATI | Conectar o mundo das máquinas / UMATI | Connecting the World of Machinery
Alexander Broos | Director of Research and Technology , VDW, The German Machine Tool Builders’ Association
- Inteligência Artificial e Algoritmos em Sistemas de Segurança - Uma Visão Interna da ISO/IEC TR 5469 e IEC TS 62998-3 / AI and Algorithms in Safety-Related Systems – A Internal View on ISO/IEC TR 5469 and IEC TS 62998-3
Patrik Feth | Advanced Safety Functions & Standards, SICK AG, Germany
- Desenvolvimento de soluções robóticas industriais segundo uma abordagem “Human-centric” / Development of industrial robotic solutions according to a Human-centric approach
Ana Colim e João Gaspar Cunha | DTX - Digital Transformation CoLab, Universidade do Minho
- A utilização de algoritmos de Machine Learning  na optimização das atividades de manutenção / The use of Machine Learning algorithms in optimizing maintenance activities
Cláudia Pires | CATIM
16.30h – Debate / Discussion
17.00h – Sessão de Encerramento / Closing Session

Inscrições
A participação no evento é gratuita, mas sujeita a inscrição. Inscrições AQUI.

Estes workshops são promovidos no âmbito do projeto MetalShoe Fablab, que visa capacitar e acompanhar as empresas dos setores do calçado, metalúrgico e metalomecânico, na resposta aos novos desafios que decorrem dos avanços técnicos e tecnológicos registados nos últimos anos em diferentes domínios associados a alterações no comportamento dos mercados, promovendo o desenvolvimento de iniciativas que potenciem a interação, sinergia, cooperação e colaboração.


536

Voltar