Notícias

Sustentabilidade ambiental e certificações

quarta-feira, 5 de junho de 2024
Certificações ambientais: um caminho para a transparência e sustentabilidade na indústria do calçado
Sustentabilidade ambiental e certificações

Sustentabilidade, no cluster da moda, não é um conceito novo e faz parte do léxico da indústria nacional de calçado e componentes. Na última década as empresas e marcas de vestuário, têxtil e calçado sentiram uma pressão e um escrutínio significativo por parte dos consumidores. A procura por transparência atingiu uma dimensão e complexidade, que obriga e desafia as organizações a refletirem sobre o seu papel na cadeia de valor desta indústria tão fascinante.

A sustentabilidade abrange um conjunto de três grandes pilares - ambiental, social e económico. O equilíbrio destes três vetores é, atualmente, essencial para o sucesso de qualquer organização. O planeta, as pessoas e o lucro devem orientar obrigatoriamente a estratégia de negócio das empresas que pretendam um crescimento contínuo, resiliente e que acrescente valor aos seus clientes.

O pilar da sustentabilidade ambiental vem, desde a década de 70, a manifestar-se como um eixo de grande preocupação nas políticas mundiais. As consequências da atividade humana, crescimento populacional e da intensificação da industrialização generalizada em todo o mundo, presentearam-nos com problemas ambientais conhecidos de todos - poluição atmosférica, resíduos e fenómenos extremos decorrentes das alterações climáticas, são exemplos das grandes questões que têm sido abordadas pelas Nações Unidas e pelos grandes decisores mundiais na luta por um ambiente mais saudável. Apesar dos esforços desenvolvidos, os resultados ainda não são os desejados por todos e a urgência de soluções e ecoeficiência é premente.

A indústria portuguesa de calçado, enquanto elemento importante da cadeia de fornecimento de grandes marcas internacionais, tem acompanhado estas exigências e, fruto duma resiliência e capacidade de adaptação notáveis, que a transformaram numa indústria inovadora, já provou que sabe responder aos desafios e apresenta-se como parte da solução da sustentabilidade da moda.

Uma das ferramentas mais reconhecidas pelas partes interessadas para espelhar o empenho na implementação de práticas ambientais mais responsáveis e cumprimento das obrigações legais é a certificação de processos ou produtos. Na área ambiental são cada vez mais as normas aplicáveis ao setor do calçado e componentes. Na globalidade dos processos de certificação são realizadas auditorias de terceira parte por entidades acreditadas e reconhecidas internacionalmente, que avaliam o grau de cumprimento dos diversos requisitos normativos aplicáveis aos âmbitos de certificação. Esta avaliação externa garante rigor e transparência que é uma bandeira que permite às empresas evidenciar o eficaz desempenho ambiental dos seus processos e produtos/serviços.

O referencial normativo mais conhecido na área de gestão ambiental, e com quase 30 anos de existência, será a certificação pela Norma ISO 14001, em que uma organização industrial ou comercial demonstra ter um Sistema de Gestão Ambiental sistematicamente implementado e que cumpre requisitos relacionados com a monitorização do desempenho ambiental e a sua melhoria contínua, legislação, objetivos ambientais e controlo operacional dos aspetos ambientais da sua atividade. A certificação pela norma 14001 é um mecanismo relevante para responder eficazmente às exigências dos clientes para muitas das empresas do setor do calçado.



Mais recentemente, no âmbito da certificação de produtos, têm sido destaque as normas relacionadas com o conteúdo de material reciclado que é incorporado no calçado ou nos componentes, como solas, palmilhas ou contrafortes e testeiras. A Norma RCS – Recycled Claim Standard e a Norma GRS – Global Recycled Standard são da responsabilidade da Textile Exchange e pretendem motivar a indústria para aumentar o recurso a materiais reciclados, evitando o consumo de novos recursos naturais, preservando assim a sustentabilidade dos ecossistemas e a biodiversidade.

A norma RCS foca-se essencialmente na garantia do teor de material reciclado contido nos produtos, enquanto a norma GRS, para além desta preocupação, tem como objetivo reduzir os impactes sociais, ambientais e químicos advindos dos processos e atividades.

Menos conhecida no seio da indústria nacional de calçado, mas que apresenta uma tendência de crescimento é a certificação B-Corp. Esta certificação foi criada em 2006 pela organização americana B-Lab, e pretende garantir que as empresas certificadas criam benefícios ambientais e sociais para todas as partes interessadas, construindo uma economia mais inclusiva e sustentável. Num processo de classificação em que as empresas terão de atingir mais de 80 pontos, são avaliados cinco pilares de atuação: Governança, Colaboradores, Comunidade, Ambiente e Clientes.

As principais vantagens das empresas ao adotarem as certificações ambientais como ferramenta de gestão, prendem-se com a tão desejada transparência perante os seus clientes e comunidade, bem como, com a demonstração inequívoca do seu esforço contínuo em ser melhor para o mundo.

186

Voltar