Notícias

Marroquinaria portuguesa em Ubrique

quarta-feira, 13 de julho de 2022
Jornadas de Aplicação Multisetorial da Pele
Marroquinaria portuguesa em Ubrique


A primeira edição da Jornada de Aplicación Multisectorial de la Piel: a new look on leather, que decorreu no passado dia 30 de junho, deu o mote para uma missão da marroquinaria portuguesa a Ubrique. A região espanhola reúne cerca de 400 empresas de marroquinaria, sendo a comunidade autónoma com mais empresas de marroquinaria em Espanha. O município pertence à província de Cádiz, comunidade autónoma da Andaluzia e coloca no papel do artesão o principal responsável pelo sucesso da indústria.

O evento, organizado pelo Centro Tecnológico da Pele (Movex), contou com a participação de figuras centrais da região, bem como artistas espanhóis que trabalham a pele nas suas mais diversas aplicações, seja na arquitetura, na decoração, na arte, entre outros.

A iniciativa partiu do Ministério da Transformação Económica, Indústria, Conhecimento e Universidade, liderado por Rogelio Velasco, através da Agência de Inovação e Desenvolvimento da Andaluzia (IDEA) e conseguiu reunir vinte empresas de arquitetura, design, design de interiores, hotelaria e restaurantes para transmitir a capacidade da Ubrique de incorporação de couro. “Com este evento, que conta com a presença de profissionais de diversas áreas que já aplicam o couro em trabalhos que vão além da marroquinaria, a Agência IDEA pretende revitalizar o setor e promover novas oportunidades”, diz a agência.

A conferência foi inaugurada pela autarca de Ubrique, Isabel Gómez, pela delegada do Governo Andaluz em Cádiz, Mercedes Colombo e pela directora geral de Comércio da Junta interina, Lorena Garrido. A delegada do Governo da Andaluzia em Cádis, Mercedes Colombo, sublinhou que "o empenho do Governo da Andaluzia pela pele de Ubrique foi total, e não poderia ser de outra forma". Colombo acrescentou que "a indústria da pele de Ubrique é um importante sinal de identidade da nossa província e sempre fomos muito orgulhosos desta atividade económica que, para além da sua grande tradição artesanal, soube adaptar-se aos tempos, o que significa que preserva a sua essência e o seu prestígio, mas também valoriza o progresso”. O delegado do Governo andaluz em Cádis insistiu que “esta conferência vem comprovar a importância que Ubrique tem no setor do couro”.

Todomuta Studio, Sol y Luna e José Luís Bazan foram alguns dos artistas que apresentaram projetos de decoração e arte em pele. Por sua vez, Lorena Garrido Serrano apresentou os principais números no artesanato de Andaluzia. A região aposta na promoção e fomento das atividades artesanais, nomeadamente numa relevância do papel do artesão. No total, a região de Andaluzia compreende 7.000 empresas de artesanato, responsáveis por 19.600 empregos. Só a indústria de marroquinaria tem inscritos 148 artesãos. "O artesanato é um setor muito importante, tanto como fonte de emprego, como meio de coesão social e como recurso turístico e cultural de elevado potencial, razão pela qual considero que o título desta conferência, multissetorial, é fundamental para a definição e sobretudo para a evolução do artesanato”.

Lorena avançou ainda que “a província de Cádiz, em especial Ubrique, representa 80% da produção no complexo andaluz, com mais de 400 empresas no complexo andaluz e mais 6.000 pessoas, cerca de 26,04% do total nacional. Ubrique está muito à frente de outras comunidades autónomas, o que nos deve encher de orgulho pela relevância que tem no setor industrial e artesanal de Andaluzia”.

Ana Maria Vasconcelos participou na mesa-redonda “um novo olhar sobre a pele”, juntamente com o responsável da Movex e com o artista espanhol Ernesto Artillo. A falta de mão-de-obra qualificada, nomeadamente jovens, foi o principal tema debatido. A responsável pela Belcinto garante que o futuro da marroquinaria passará por uma união entre países produtores de marroquinaria para “enfrentar as dificuldades em conjunto”.

A participação nas Jornadas culminou com visitas a várias empresas da região, bem como ao Centro Tecnológico da Pele.

216

Voltar