Áreas de Atuação

Segurança no trabalho

Segurança no trabalho

A promoção da saúde e segurança no trabalho deve traduzir-se numa intervenção global e integrada de todos os departamentos da empresa, daí que, o empenho de todos é condição indispensável para o seu controlo, regulação e promoção.

Os trabalhos a efetuar por estes serviços exigem formação específica, e na generalidade não requerem técnicos afetos a tempo inteiro, pelo que se torna mais adequado e económico para empresas de pequenas dimensões recorrerem a serviços externos.

A experiência do CTCP na área industrial, em particular no setor do calçado, permite disponibilizar às empresas um serviço de qualidade.

Principais atividades:
. Sensibilizar e informar as obrigações legais da SST;
. Organizar e acompanhar as atividades de SST na empresa;
. Preparar as empresas para a licença de laboração;
. Acompanhar as vistorias;
. Reduzir os custos associados a acidentes, baixas, multas, baixas de produtividade, trabalho monótono, desmotivação, etc;
. Analisar e controlar os riscos associados às atividades da empresa;
. Prevenir os riscos profissionais e potenciar a higiene nos estabelecimentos industriais;
. Analisar os acidentes de trabalho;
. Avaliar riscos de exposição ao ruído, poeiras, solventes, iluminação, humidade e temperatura;
. Disponibilizar formação nas instalações da empresa ou no CTCP.

Benefícios para as empresas:
. Redução de acidentes de trabalho e custos a ele associados (indemnizações, assistência médica);
. Redução do tempo perdido; 
. Melhoria do grau de satisfação do trabalhador;
. Melhoria das condições de trabalho e consequente aumento da produtividade;
. Evita infrações.

Serviço Externo de SST
O Centro Tecnológico do Calçado de Portugal dispõe do  Serviço Externo de Saúde e  Segurança no Trabalho autorizado e reconhecido pela Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT).

A quem se destina este serviço?

O serviço Externo de SST do CTCP, destina-se às empresas do setor do calçado, marroquinaria, curtumes, solas e equipamentos para a fileira do couro, calçado e confeção e outros setores industriais afins, com menos de 400 trabalhadores no mesmo estabelecimento. A lei prevê que as empresas com um n.º de trabalhadores acima deste valor, devem organizar serviços internos, qualquer que seja a atividade desenvolvida, salvo se possuírem autorização escrita da ACT.

Consulte 10 Mandamentos de Segurança para o setor do calçado.

Para mais informação contacte-nos:







1008

última atualização Friday, June 5, 2020

Voltar