Notícias

Como pode a manufatura aditiva ser aplicada na indústria?

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022
Novo referencial técnico disponível
Como pode a manufatura aditiva ser aplicada na indústria?

Quais as tecnologias de Manufatura Aditiva (impressão 3D) que existem e quais as que melhor se aplicam na indústria? Como pode o setor do calçado beneficiar da utilização destas tecnologias? Existem exemplos de sucesso em que a impressão 3D foi utilizada no calçado?

A resposta a estas e outras questões estão no referencial técnico “Manufatura Aditiva nas Industrias do Calçado e da Metalomecânica” desenvolvido pelo CTCP e o CATIM , no âmbito do projeto Metalshoe FabLab (metalshoefablab.pt).

A Manufatura Aditiva (MA) é conhecida como a impressão 3D e consiste na produção de objetos tridimensionais de geometrias complexas e altamente personalizáveis de forma mais simples e económica ao contrário dos processos convencionais que seriam difíceis, caros ou mesmo impossíveis.

Atualmente, não só grandes marcas conhecidas como Adidas, Nike, New Balance ou a ECCO se renderam à utilização desta tecnologia, existem igualmente pequenas start-up e designers de calçado com coleções próprias, como por exemplo a Sílvia Fadó e a Ganit Goldstein. Numa fase inicial, a Manufatura aditiva era utilizada apenas para prototipagem, no entanto, com a evolução da tecnologia já é possível imprimir calçado funcional completo, componentes para calçado ou acessórios decorativos.

No mundo da indústria do calçado os benefícios da (MA) são evidentes, de referir a possibilidade de construção de protótipos de forma mais rápida. Com a utilização desta tecnologia os atrasos em projetos de desenvolvimento diminuíram drasticamente

A produção de palmilhas ortopédicas é um outro exemplo onde a MA é indiscutivelmente vantajosa, dado que estes produtos são únicos e exclusivos. Ou ainda a impressão de objetos metálicos para marroquinaria ou calçado como por exemplo fivelas, ornamentos decorativos, clipes, botões de pressão, ganchos entre outros.

É de realçar ainda o impacto da sustentabilidade destas tecnologias. O facto de os objetos serem construídos em processos camada, a camada, reduz não só o desperdício de matéria-prima, mas também a produção dos resíduos, e estes podem voltar a ser incorporados nos processos de produção.

Estas vantagens encontram-se mais desenvolvidas neste referencial técnico que está disponível AQUI.  Esta é uma tecnologia que o CTCP e CATIM pretendem implementar nas empresas dos clusters do calçado e da metalomecânica. As empresas que pretenderem desenvolver projetos nesta área devem contactar-nos ou fazer-nos uma visita de forma a conhecer as tecnologias e equipamentos que o FabLab do CTCP e do CATIM têm instalados. Conheça mais do projeto em: metalshoefablab.pt

Para mais informações contacte-nos.


565

Voltar