Reciprocidade – o benchmarking é uma prática baseada em relações
recíprocas, na qual todos os participantes beneficiam da partilha de informação.

Analogia – é fundamental a possibilidade de existir uma transferência elevada de conhecimentos entre parceiros do estudo.

Medição – os sistemas de medição e as ferramentas utilizadas na comparação de desempenho dependem dos indicadores seleccionados, os quais devem ser compatíveis entre os parceiros do estudo.

Validade – a fiabilidade dos dados deve ser sempre validada para garantir a veracidade das conclusões do benchmarking.

Código de conduta – a reciprocidade na partilha e no uso da informação, a confidencialidade e o respeito pela individualidade dos parceiros têm de ser assumidos como preceitos invioláveis.