Domingo 15 de Setembro de 2019 Institucional | Mapa do Site | Localização | Contactos | Facebook CTCP Youtube CTCP Linkedin CTCP Instagram  CTCP

Newsletter

Ver todas

Subscrever newsletters




Links
 
 
NOTICIAS
         

  

Google Translate


Gigantes internacionais assinam pacto ambiental

Trinta e duas empresas internacionais acabam de assinar um pacto com o objetivo de reduzir o impacto ambiental da indústria da moda no planeta. O documento, impulsionado pelo Presidente francês Emmanuel Macron, foi apresentado durante a reunião do G7, em Biarritz, e conta com o chairman do grupo Kering - François-Henri Pinault - como líder.

As metas ambientais foram estabelecidas com os horizontes de 2030 e 2050 e visam limitar o impacto do setor de moda no clima, na biodiversidade e nos oceanos. Stop Global Warming, Restore diversity and Protect the Ocean (Parar o aquecimento global, restaurar a biodiversidade e proteger o oceano) são os três grandes objetivos do pacto. A eliminação das emissões líquidas de carbono até 2050 e a transformação de toda a energia utilizada pelos grupos em 100% renovável até 2030 são algumas das medidas previstas no campo do clima. Na área da biodiversidade, os signatários pretendem favorecer quintas que protejam o ecossistema e renunciem a stocks provenientes da pecuária intensiva. No que diz respeito aos oceanos, as empresas pretendem lutar contra a utilização de plástico ‘de uso único’, apoiando a utilização de novos materiais.
«Os objetivos do Fashion Pact estão fortemente alinhados com o nosso próprio trabalho nesta área na última década e estamos ansiosos para trabalhar com os outros signatários para ajudar a transformar a nossa indústria, apoiar as nossas comunidades e proteger o meio-ambiente». As palavras são de Marco Gobetti. O CEO da Burberry acredita que as empresas não podem resolver as questões ambientais de forma isolada e que a colaboração entre todos os atores da indústria será o melhor caminho para o sucesso.

"Acreditamos firmemente nessa iniciativa e esperamos trabalhar em conjunto com nossos parceiros nas prioridades que estabelecemos no Pacto de Moda" disse o CEO da Puma. Bjørn Gulden acredita que é essencial reunir a indústria para obter mudanças significativas e melhorar o impacto ambiental de cada empresa.

Mas os signatários deste pacto não se resumem a marcas de luxos. Também os gigantes de retalho, como H&M, Inditex e GAP estão presentes nesta lista. O presidente executivo da Inditex, Pablo Isla, disse: “Todos nós na Inditex estamos comprometidos com a sustentabilidade, um dos principais princípios estratégicos da nossa empresa. A força por detrás deste projeto é a convicção - partilhada por todos os signatários - da responsabilidade conjunta de proteger o meio ambiente."

The Fashion Pact nasceu na sequência de um pedido do presidente francês Emmanuel Macron ao CEO do grupo Kering. “O objetivo dado pelo Presidente da República francês foi colocar ordem nas iniciativas ambientais dispersas da indústria, e também mobilizar pelo menos 20% do setor. É um ponto de inflexão que faz com que as demais empresas não tenham mais desculpas para não agir”. diz em comunicado a secretária francesa da Ecologia, Brune Poirson.

O pacto reúne empresas da área do design, bem como fornecedores e retalhistas, todos eles já com iniciativas individuais assentes na sustentabilidade. Além do grupo Kering, grandes nomes como Burberry, Chanel, Ferragamo, Armani, Hermès, Moncler, Prada, Karl Lagerfeld, Ralph Lauren, Stella McCartney e Zegna, gigantes de retalho e empresas desportivas como Adidas, Nike e Puma assinaram este pacto.

Marie-Claire Daveu acredita que “a partir do momento em que os CEOs colocarem os nomes neste documento, serão necessárias ações. Nas redes sociais, em particular, somos rapidamente questionados e todos sabemos os danos que podem ser exercidos na imagem de uma marca”. A diretora de desenvolvimento sustentável e de relações institucionais internacionais da Kering defende que na indústria da moda “o melhor ‘polícia’ é o consumidor e que, com este pacto, os resultados serão rapidamente visíveis”.
Em outubro próximo, François-Henri Pinault irá reunir todas as empresas para preparar um relatório anual sobre os progressos realizados.

COTANCE incentiva empresas europeias a cumprir o Pacto Ambiental

A COTANCE – associação que representa a indústria europeia de curtumes – afirmou recentemente, em comunicado, apoiar os seus clientes a alcançar as ambições previstas no Pacto de Moda. “A indústria europeia de couro compartilha os objetivos expressos no Pacto de Moda e está comprometida em contribuir para alcançá-los”.
“A COTANCE acolhe com satisfação as ambições de sustentabilidade descritas no Pacto de Moda, assinado por 32 marcas de luxo e moda, muitas das quais clientes dos curtidores europeus. Esperamos ansiosamente que os líderes do G7 apoiem esta importante iniciativa e esperamos que a meta de 20% da indústria global da moda em termos de volume seja alcançada em breve para proporcionar os benefícios ambientais pretendidos”.

A COTANCE é pioneira em iniciativas de sustentabilidade para a indústria do couro, desenvolvendo instrumentos capazes de contabilizar, fornecer e certificar as melhores práticas em responsabilidade social e desempenho ambiental.

Fonte: APICCAPS

Data:2019-09-11    Visualizações: 27


Google Translate Imprimir Enviar este registo a alguém
Voltar
Área Reservada

N.º Nif

Password

memorizar-me


ainda não se registou?
Perdeu a password?
Pesquisa de Informação




--------------------------



    Política de Privacidade | Livro de Visitas | Livro de Reclamações